CASAMENTOS

tu vens, tu vens

Quando pergunto aos casais o que lhes causa mais expectativa no dia do casamento, a grande maioria responde: a entrada da noiva.

Se o casamento é um ritual de travessia, podemos dizer que o altar é o lugar essa passagem acontece.

E foi de lá que, tenso e se movimentando no mesmo lugar, o Du aguardava a chegada da Paulinha, enquanto assistia a entrada dos padrinhos.

Da janela de uma das casas da Vila, mesmo longe do altar, o fotografo e o videomaker conseguem, por entre as árvores, avistar o noivo. Mostram a cena pra noiva que abre um sorriso.

Estava chegando o momento do grande encontro!

A Paulinha nos contou em seus votos que não foi amor à primeira vista, nem a segunda e nem a terceira. Foi depois de alguns desencontros que virou encontro e, segundo ela, o mais importante deles estava prestes a acontecer, bem ali, no altar!

Era chegada a hora de unir em um só lugar, as experiências de vida e os valores que cada um trouxe consigo.

É incrível quando identifico, durante o processo de criação do Filme que, apesar das diferenças entre eles, os valores são os mesmos!

No caso da Paulinha e do Du, havia um evidente e enorme amor à família e aos amigos! Amor esse que acabou despertando o desejo de reunirem, diante do altar de uma incrível Fazenda Colonial, essas pessoas queridas, para testemunharem o seu rito de travessia!

Uma vitória do amor que contou até mesmo com a participação de um músico de rua da charmosa Tiradentes. Ao som de sua flauta ele tocou: “Tu vens, tu vens eu já escuto os teus sinais...”

Parecia que aquela música vinha do coração do Du que, pressentindo que a Paulinha se aproximava, respirou fundo enquanto aguardava a chegada de seu único amor!

Era a “Anunciação” de um novo tempo que estava por vir!